Conheça os benefícios de dançar em casa e como incluir a prática no dia a dia

Aproveite todos os benefícios para a sua saúde física e mental de dançar em casa e deixe a sua rotina mais leve e animada.

A dança sempre foi uma maneira de se expressar com o corpo, transformando emoções em movimento, externalizando sentimentos e sendo uma importante ferramenta de cura para a alma. Por isso, o exercício traz diversos benefícios para corpo e mente, indo muito além das questões da saúde física.

Com a chegada da pandemia da covid-19 e a necessidade do isolamento social, muitas pessoas tiveram seus hábitos mudados repentinamente. E, diante da necessidade de se expressar em um momento tão delicado para todo o mundo, além da demanda da prática de atividade físicas para manter o corpo em movimento, a prática de dançar em casa ganhou novos adeptos.

Se você quer saber mais sobre a dança e seus benefícios, e descobrir como você pode incluí-la  rotina da sua casa, continue lendo este artigo e venha com a HOMEY.

Neste conteúdo, você irá conferir:

  • Benefícios da dança para o corpo;
  • Benefícios da dança para a saúde mental;
  • A dança como cura e forma de expressão da alma;
  • Dicas para inserir a prática no seu dia a dia a dia em casa;

Corpo saudável é corpo em movimento

A dança é uma atividade inclusiva e democrática, que não tem contraindicações e pode ser praticada por pessoas de praticamente todas as faixas etárias, habilidades e tipos de corpos. Em sua infinidade de ritmos, basta encontrar o ideal para você para começar a se movimentar e dar o primeiro passo para cuidar da sua saúde.

O movimento é parte importante do cuidado com o corpo e todos os aspectos do bem-estar, mas, sobretudo o físico. Por isso, a dança é uma excelente oportunidade para trabalhar o corpo da cabeça aos pés, aliada a uma sensação de bem-estar e disposição.

A própria OMS, a Organização Mundial de Saúde, recomenda a prática de atividades físicas para uma rotina saudável. O corpo em movimento, principalmente quando embalado por um ritmo musical, está associado à prevenção de doenças e à melhoria de quadros clínicos e é uma ótima alternativa para quem quer sair do sedentarismo.

Colocar o corpo para se mexer ao som de uma música aumenta o fluxo sanguíneo, melhora o sistema cardiovascular, além de estimular o sistema imunológico. Os efeitos positivos não param por aí:

  • Ajuda a melhorar as frequências cardíaca e respiratória;
  • Promove o aperfeiçoamento da coordenação motora;
  • Melhora o equilíbrio, a agilidade e a percepção de espaço;
  • Ajuda no alongamento e fortalecimento dos músculos;
  • Previne fadiga, dores, lesões e desgastes prematuros.

Além de todos esses benefícios, a dança também é recomendada para pessoas que desejam perder peso de forma saudável, uma vez que a prática auxilia a queima de gordura, contribui para o controle do colesterol e reduz a retenção de líquidos.

 E o melhor, é que você pode aproveitar todos os benefícios da prática e fazer o exercício no conforto da sua casa. Confira algumas das vantagens de dançar em casa:

  • Aliviar as tensões do dia a dia;
  • Começar o dia com um boost de energia e bom humor;
  • Ter mais privacidade para se soltar como quiser;
  • Cantar junto das suas músicas preferidas;
  • Deixar o ambiente mais alegre e leve;
  • Se conectar com a sua alma;
  • Extravasar as emoções.

Benefícios da dança para a saúde mental

Saúde e bem-estar são conceitos complexos, que ultrapassam questões apenas do corpo físico. Envolvem também aspectos emocionais e sociais, que fazem toda a diferença na qualidade de vida e na forma como lidamos com as situações do dia a dia. E a dança pode ter um grande impacto positivo na saúde mental.

O exercício ajuda a aliviar as tensões e, independente da coordenação ou habilidade do dançarino ou dançarina, é uma prática que ajuda a melhorar o humor e a qualidade do sono e auxilia na manutenção dos níveis de cortisol, o chamado hormônio do estresse.

Além disso, a dança é uma grande aliada no desenvolvimento da autoconfiança e da concentração e sua prática estimula diferentes partes do cérebro. Com isso, dançar se torna uma alternativa para combater diversas doenças e transtornos, como depressão e ansiedade, e pode até diminuir o risco de Alzheimer e outras demências.

Outro ponto que é importante a ser destacado é que, quando realizada em duplas ou em grupos, a dança é também uma forma de socialização que aproxima as pessoas, conectando indivíduos com diferentes histórias, origens e interesses. É um exercício que trabalha a cooperação e a disciplina, desenvolvendo sentimentos de amizade, consideração e respeito pelo próximo.

O componente artístico da dança também é muito importante para o desenvolvimento da imaginação e da criatividade e elementos da prática, como por exemplo, as coreografias, ajudam no estímulo da memória, da atenção e do raciocínio.

Dançar é colocar a alma para dançar

Para além dos benefícios para a saúde física e mental, a dança também é uma importante forma de expressão dos nossos sentimentos e pode ser uma poderosa ferramenta de cura para a nossa alma.

 Ao longo da história da humanidade, a prática da dança tem tradicionalmente sido uma maneira para nos conectarmos espiritualmente a nós mesmos, oferecendo liberdade para sermos quem verdadeiramente somos e permitindo que nossas emoções fluam por meio da música e do movimento.

 Essa expressão e conexão que acontecem com a dança são muito importantes quando pensamos em processos de cura e o autoconhecimento que a prática proporciona ajuda a ressignificar experiências e vivências.

Agora é a sua vez: dicas para inserir a dança na sua rotina de casa

Agora que você já sabe mais sobre os benefícios da dança para o corpo e a mente, está na hora de se mexer, partindo para a prática e inserir o exercício para o seu dia a dia dentro de casa.

Para isso, uma dica importante é fazer da atividade um hábito cotidiano. O ideal, é que você escolha dia(s) e horário(s) da sua rotina que sejam cômodos e priorize ritmos que estejam de acordo com o seu gosto pessoal.

 Mas, antes de começar a prática, é essencial que você se alongue e faça um aquecimento. Com poucos minutos, você ajuda a preparar o seu corpo para se movimentar no embalo da sua escolha musical. O alongamento deve ser feito ao final do exercício. Ele vai te ajudar (e muito!) com a consciência corporal.

 Se você não tem o costume de praticar atividades físicas, o melhor é que você comece a dançar com um estilo musical mais leve e fácil, de duas a três vezes por semana, em aulas de 20 a 30 minutos. Gradualmente, à medida que seu condicionamento for melhorando, sinta-se à vontade para explorar novos ritmos e aumentar a frequência e o tempo da prática.

Lembre-se também de usar roupas confortáveis, que permitam o livre movimento do corpo. Não se esqueça de verificar também se sua sala, quarto ou qualquer outro cômodo da sua casa tem espaço suficiente para você se mexer sem se preocupar em ficar esbarrando nos móveis e objetos.

E claro, não se esqueça do mais importante: permita-se brincar, criar passos, improvisar, sair do ritmo, se divertindo com a atividade física e aproveitando todos os benefícios e possibilidades que a dança traz. Seja no quarto, na sala, na cozinha ou qualquer outro cômodo, dê o primeiro passo e divirta-se!

Você já dança ou tem vontade de praticar? Se sim, conta pra gente nos comentários quais os seus ritmos preferidos e quais gostaria de aprender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também vai gostar

Ainda não inventaram nada melhor do que CASA BONITA E ORGANIZADA.

O GUIA CASA INTELIGENTE vai te ajudar com muitas ideias , todas ILUSTRADAS, de como organizar, decorar e receber as pessoas em casa.

É o manual de consultas perfeito para você.